18 de novembro de 2017

Uma das conquistas comemoradas pela AMB em 2017, foi a instauração da moratória que proibiu a criação de novas escolas de medicina no país por um prazo de cinco anos. Diogo Sampaio, ao lado de Lincoln Ferreira, presidente da AMB, participou de reuniões com o MEC, juntamente com outras entidades representativas da classe, para combater a proliferação de escolas de medicina abertas sem condições mínimas necessárias para a formação de profissionais qualificados para atender a população de maneira adequada.

Na época Diogo frisou ao jornal Estadão: “Nem todas as escolas contam com hospitais. Alunos têm de ter aulas práticas em unidades de saúde conveniadas, muitas vezes sem a assistência de um professor. Contam só com o profissional de saúde que trabalha na unidade. Muitas foram abertas indiscriminadamente para atender mais a benefícios políticos e econômicos locais do que à assistência médica.”

Confira matéria publicado no jornal O Estado de São Paulo que relata a atuação da AMB para criação da moratória https://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,governo-vai-suspender-por-5-anos-criacao-de-cursos-de-medicina-no-pais,70002088828.